11 passeios em São Paulo: visite o centro histórico com um guia

Tags

, , , , , , , ,

 

Centro histórico de São Paulo também tem seus encantos. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Centro histórico de São Paulo também tem seus encantos. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Sempre fui fascinada por História, principalmente por aquelas que não estão nos livros oficiais. Descobri uma associação de guias que oferece passeios guiados pelo centro histórico de São Paulo e fui ser turista na minha própria cidade.  Estes roteiros despertam nossa curiosidade e abrem nossos olhos para admirar tudo de belo que São Paulo tem a oferecer.  O centro é um lugar fascinante, com tantas histórias, arquitetura preservada (outras, nem tanto), igrejas,  comércio,  influências de imigrantes, que depois de fazer o passeio você enxergará a cidade de forma diferente.

Antigo Banco Ítalo-Francês - Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Antigo Banco Ítalo-Francês – Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Muita gente não gosta de ir ao centro com receio que seja perigoso. É claro que tem estar atento, mas não deixe de passear por causa disso. Garanto que você vai se surpreender, principalmente,  numa visita em que o guia vai lhe contando curiosidades , fatos engraçados e a história dos lugares e personagens marcantes.

Fiz o roteiro Presença Estrangeira, que acontece aos sábados, às 10h.  A saída é na Rua da Quitanda, 80. Ali mesmo, a guia nos explicou que o nome do projeto é Caminhos do Triângulo, porque há muitos séculos São Paulo era realmente apenas um triângulo que abrangia a área central de São Paulo composta  por algumas ruas e cercado pelos rios Tamanduateí e Anhangabaú.

A guia Mônica nos conta sobre curiosidades de São Paulo. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

A guia Mônica nos conta sobre curiosidades de São Paulo. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Descobrindo as ruas do centro

A primeira curiosidade é que o nome da Rua da Quitanda. Antigamente, os escravos iam comprar frutas, verduras, galinhas e porcos ali, enquanto as madames passeavam na 15 de Novembro, onde se concentrava as lojas chiques.  A própria Rua 15 de Novembro só passou a ter este nome depois da proclamação da República.

Nossa guia ia mostrando os vários prédios da cidade e contando o que funcionava naquele local e qual foi a influência que os imigrantes deixaram na cidade.  Uma das histórias que mais gostei foi a origem do pão francês.  Segundo ela, os portugueses eram os padeiros, mas os pães tinham má qualidade porque eram feito com farinha de mandioca. Quando os franceses chegaram, começaram a produzir pão com farinha de trigo branca e foi um grande sucesso. As madames então mandavam suas escravas para comprar o “pão do francês” que com o tempo virou o pão francês.

Estilo eclético, o prédio foi apelidado de bolo de noiva. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Estilo eclético, o prédio foi apelidado de bolo de noiva. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Ainda na Rua 15 de novembro nos deparamos com o prédio em estilo eclético apelidado de “bolo de noiva” por causa do seu estilo chamativo.  Na Rua Direita foi inaugurado o primeiro arranha-céu de São Paulo, o edifício Guinle, construído entre 1913 e 1916. O prédio, que hoje tem uma altura bem modesta comparando com as construções atuais, sediou o escritório da Família Guinle, dona da concessionária do Porto de Santos. Hoje, funciona uma loja de calçados.

O passeio avança pelo Largo do Café, Praça Antônio Prado, onde funciona a Bolsa de Mercados & Futuros em um charmoso largo com coreto, fonte e orelhão antigo.  Observamos os prédios em volta, principalmente a parte de cima.  Naquele período, as casas tinham dois ou três andares, em que o térreo era comércio e os andares superiores eram a residência. Muitos edifícios ainda conservam os traços de época, outros já estão bem descaracterizados e deteriorados.

Edifício Guinle, considerado um arranha-céu quando foi construído. Foto: Divulgação

Edifício Guinle, considerado um arranha-céu quando foi construído. Foto: Divulgação

O interessante deste passeio de duas horas é saber o quanto os estrangeiros influenciaram na nossa cultura, costumes, hábitos e linguajar. Muitos dos fatos que a guia nos contou eu não fazia ideia. Você sabia que os ingleses, além de deixar o hábito de tomar o chá das cinco e o estilo inglês  nas construções,  também deixaram o costume de vestir pijamas?  Gostei tanto do tour que fui fazer outro passeio.

São Paulo dos Café e cafeterias

Este passeio acontece às quintas,  às 14h e aos domingos,  às 10h. Uma pessoa que adora café e o charme das cafeterias como eu tinha que fazer este roteiro.  As ruas percorridas são as mesmas do primeiro trajeto, diferenciados apenas alguns lugares, mas parecia que eu estava em outra cidade. Isto aconteceu porque a guia descreveu outros aspectos históricos de São Paulo, desta vez ligada ao ciclo do café, seu apogeu e decadência.

Fonte na praça Antonio Prado dá um charme ao lugar. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Fonte na praça Antonio Prado dá um charme ao lugar. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Descobri que a influência do café está em quase todos os prédios do Centro.  O cafeeiro, seus grãos e folhas são adornos em portas, janelas, vitrais, em obras de arte. Tudo isso mostra a importância que o café teve para a economia e cultura da região.

A família Álvares Penteado é uma que enriqueceu com o plantio do café.  Tem até uma rua com este nome no Centro. O Largo do Café era onde funcionava uma bolsa informal do café,  o local onde o produto era negociado. Atualmente funcionam vários bares e restaurantes que lotam no happy hour e na hora do almoço.

Antigo Banco Português. Foto: Divulgação.

Antigo Banco Português. Foto: Divulgação.

Um dos restaurantes mais requintados foi o Café Guarani, na Rua 15 de Novembro. Com vários andares e ambientes, era o lugar favorito do escritor Monteiro Lobato. A rota passa por várias ruas e prédios que tiveram sua importância naquele período. O Caffè Latte, na Travessa do Comércio, é dos tempos atuais, mas se destaca pela sobremesa à base de café.  Outro lugar que você pode saborear um doce de café é dentro do Páteo  do Colégio,  que também tem um pão cuja receita foi de José de Anchieta.

Detalhes do café estão presentes em várias portas. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Detalhes do café estão presentes em várias portas. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

O Café Girondino, que fica na rua Boa Vista, veio resgatar todo o glamour dos restaurantes de antigamente. Decorado com móveis de época, quadros e outros objetos,  você se transporta pelo tempo ao provar a deliciosa bebida naquele ambiente.  É uma pena que não restou nenhum café da época áurea. O que vemos no passeio são histórias e ruas emblemáticas e tentamos imaginar a magia da São Paulo dos bondes, dos barões de café e seus charmosos restaurantes que reunia a elite da cidade.

Um dos ambientes do Café Girondino. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Um dos ambientes do Café Girondino. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

O projeto Caminhos do Triângulo tem passeios todos os dias saindo ás 10h e às 14h com vários temas diferentes, que custam R$ 15 e duram duas horas.  Gosta de história? Você já fez algum tour guiado pelo centro de São Paulo? É hora de começar.

Conheça os outros roteiros e mais detalhes no site do projeto:

  1. Portas, pisos e vitrais
  2. Monumentos e estátuas
  3. Jornais, teatros e cinemas
  4. Prédios emblemáticos
  5. Destaques do centro histórico
  6. Igrejas
  7. Comércio, ontem e hoje
  8. Ramos de Azevedo e destaques da arquitetura
  9. Centros Culturais
Ambiente elegante do Café Girondino. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Ambiente elegante do Café Girondino. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

PS: a jornalista fez os passeios à convite do projeto Caminhos do Triângulo

Dia dos Namorados: 7 programas gratuitos para fazer a dois

Tags

, , , , , , , , ,

 

Celebre o amor: programas para fazer a dois. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Celebre o amor: programas para fazer a dois. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Todo dia é ocasião para celebrar o amor. Para alguns, 12 de junho é apenas uma data comercial, para outros é dia de fazer programas românticos. Separei sete programas gratuitos para fazer a dois neste final de semana e provar que mais do que dar presentes, o que importa é o prazer de compartilhar os momentos juntos.  Para quem está solteiro, também pode fazer os mesmos programas com os amigos e família.

1.Piquenique no Jardim Botânico

Já falei em outro post aqui que o Jardim Botânico de São Paulo é um dos lugares mais agradáveis de São Paulo. Tranquilo, bem cuidado, tem o cenário perfeito para viver momentos de muito romantismo. Aproveite o final de semana compre queijos, frios, pães, um vinho e chocolates e vá com seu amor fazer um piquenique neste belo parque.

Programa romântico é passear no Jardim Botânico. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Programa romântico é passear no Jardim Botânico. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

2. Assistir ao entardecer na Praça do Pôr do Sol

Tem programa mais romântico que assistir ao entardecer junto à natureza? Não é preciso ir muito longe para ver o astro-rei se esconder entre os arranha-céus. Famílias, casais e grupos de amigos se reúnem na Praça do Pôr do Sol em Pinheiros, principalmente nos finais de semana. Se ainda não conhece, esta é uma boa ocasião para ir com seu amor. Praça Coronel Custódio Fernandes, s/nr, Pinheiros

Praça do Pôr do Sol reúne dezenas de pessoas no final de semana. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Praça do Pôr do Sol reúne dezenas de pessoas no final de semana. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

3.Descubra a cidade de bike

Agora que a cidade está cheia de ciclovias e alguns bancos dispõem de bicicletas para alugar, não tem mais desculpa para não sair de bicicleta. Se você não está acostumado, comece com um roteiro mais curto. Escolha uma parte da cidade que ainda não conhece e explore a cidade a dois. Se estiver inseguro, uma dica é se juntar a um grupo que faz tour de bike. A Bike Tour SP reúne ciclistas para passeios pela Av. Paulista e Centro Histórico aos domingos e Parque Ibirapuera e Faria Lima aos sábados, todas com cinco saídas diárias: 9h, 10h30, 12h, 13h30 e 15h. Para participar, basta fazer a inscrição gratuita no site www.biketoursp.com.br e levar 2kg de alimento não perecível.

Biketour pelo centro histórico de São Paulo Foto: Divulgação

Biketour pelo centro histórico de São Paulo
Foto: Divulgação

4.Show com os Trovadores Urbanos

O grupo vocal  Trovadores Urbanos faz releituras de canções da MPB e e irão realizar um show especial para o Dia dos Namorados com repertório romântico. Eles cantam acompanhados de violões e vestidos com roupas épicas, que dão um charme especial nas suas apresentações. Imperdível. Hoje, na  Casa dos Trovadores, na rua Aimberê, 651, Perdizes, das 20h às 21h30. Grátis. Amanhã, às 11h, eles cantam em frente o Armazém da Cidade, Rua: Medeiros de Albuquerque, 270, Vila Madalena.

Trovadores Urbanos fazem apresentação especial de Dia dos Namorados

Trovadores Urbanos fazem apresentação especial de Dia dos Namorados

5.Show de blues e jazz no Parque Burle Marx

Um show ao vivo num parque é também uma opção para os casais apaixonados. O Parque Burle Marx idealizado pelo paisagista e arquiteto Burle Marx já valeria a visita pela beleza natural. Agora tem um atrativo a mais: o Festival BB Seguridade reúne grandes nomes do blues e do jazz neste final de semana. Stanley Jordan, Dudu Lima, Ana Carolina, Nuno Mindelis e Blues Etílicos se apresentam sábado e domingo a partir das 14h. Parque Burle Marx – Avenida Dona Helena Pereira de Moraes, SP. Entrada grátis. Veja a programação no site. Para imprimir o ingresso, é necessário fazer o cadastro no site www.festivalbbseguridade.com.br

Ana Carolina faz apresentação no Parque Burle Marx. Foto: Leo Aversa

Ana Carolina faz apresentação no Parque Burle Marx. Foto: Leo Aversa

6.Dançar a dois

Véspera de Santo Antônio, esta sexta-feira vai reunir solteiros e casais que gostam de dança de salão. A dica é dançar de rostinho colado um xote com a banda Forró de Muié no Mr. Cult. A entrada é gratuita.  A partir das 20h30. Praça Franklin Roosevelt, 100, Centro.

Forró Di Muié: para dançar de rostinho colado. Foto: Divulgação.

Forró Di Muié: para dançar de rostinho colado. Foto: Divulgação.

7. No escurinho do cinema

 Que tal ver um filme de mãos dadas? Mas não espere comédias românticas açucaradas. Nesta mostra, o MIS fará uma Maratona especial de Dia dos Namorados no Cineclube Phenomena. Intitulada “Parceiros no Crime”, terá três sessões de filmes que unem paixão a suspense (Assassinos por Natureza; Coração Selvagem e Almas Gêmeas). A Maratona é gratuita e começa às 23h45 desta sexta. Avenida Europa, 158, Jardim Europa.

Assassinos por Natureza estará no MIS. Foto: Divulgação.

Assassinos por Natureza estará no MIS. Foto: Divulgação.

 

Explore a Vila Madalena a pé: roteiro de cultura e arte

Tags

, , , , , , ,

A Vila Madalena é conhecida pela vida noturna:  são vários bares, festas, baladas e restaurantes que atraem gente de todos os cantos da cidade. Poucos sabem que é uma delícia passear no bairro durante o dia. A Vila Madalena é cheia de galerias de arte, lojinhas de design, arte, brechós, livrarias e cafés. O grafite está estampado em vários muros e dá a identidade visual do bairro.  O melhor dia para passear é sábado à tarde, quando as lojas estão abertas e ainda dá para esticar um almoço, tomar uma cerveja num barzinho ou um café.

O roteiro tem menos de 2 quilômetros e fazendo várias paradas, você nem se sente cansado.

Arte na rua Fradique Coutinho. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Arte na rua Fradique Coutinho. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

O ponto de partida é a rua Fradique Coutinho, esquina com a Cardeal Arcoverde. Quando estiver andando pela rua, repare nas lojas e restaurantes. Eu encontrei restaurante peruano, vegetariano, bares diversos,  loja de discos e a primeira arte de rua. A Livraria da Vila,  que acaba de completar 30 anos em abril, é a primeira parada. Passear  por aquele lugar, sentir o cheiro de livro novo nas estantes para quem gosta de ler é um prazer imenso. Além de livros e revistas, há também acervo de cds e dvds e um agradável café nos fundos. A loja é um ponto de encontro e promove eventos, lançamento de livros, clube de leitura e palestras gratuitas. O destaque deste  mês é a Festa da Literatura Infantil com a escritora Eva Furnari, dia 20 de junho, sábado, das 16h às 19h. A escritora contara histórias e apresentar os personagens para as crianças.

Interior da Livraria da Vila que completou 30 anos Foto:  Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Interior da Livraria da Vila que completou 30 anos Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Continuando a caminhada, resolvi ir direto para a Galeria Fortes Vilaça, onde está acontecendo uma mostra de Carlos Bevilacqua até 20 de junho.  Em seguida, parei para conhecer as obras do artista Andrey Zignatto  na Blau Projects, no  nr 1464. Os tijolos postos desta maneira pareciam uma manta. Muito interessante.

Obra de tijolos deAndrey Zignatto  na Blau Projects. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Obra de tijolos deAndrey Zignatto na Blau Projects. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

O número 1340 é o Coffee Lab. Para quem gosta de café é o paraíso. O ambiente informal  da casa me surpreendeu. O espaço é bem pequeno, mas aconchegante. Também fiquei admirada com a quantidade de gringos no local. Como eles descobriram este lugar, eu não sei. Vai ver que é por causa dos hostels que abriram no bairro nos últimos tempos. O cardápio tem vários tipos de cafés e a casa promove cursos de baristas, entre outros.

Imã Foto Galeria tem exposições e workshops. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Imã Foto Galeria tem exposições e workshops. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Os amantes da fotografia (como eu), vai curtir muito a Ímã Foto Galeria. Quando fui,  estavam montando uma exposição, mas mesmo assim, percebi a qualidade das obras. Fotos com vários temas, urbanos, pessoas, rural, enfim, um coletivo de vários estilos. O espaço também promove workshops de fotografia.

Mural na rua Fradique Coutinho. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Mural na rua Fradique Coutinho. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Batendo perna na rua Harmonia

Finalmente entrei na rua Wizard para chegar na Harmonia. O nome condiz com o que encontrei no lugar. Restaurantes, bares, lojinhas e galerias charmosas.  Conheci a Urban Arts, um lugar super descolado com muita arte pop. Ainda encontrei um trio tocando forró, porque este mês várias lojas estão promovendo a festa junina na Vila Madalena com intervenções, decoração e quitutes típicos.  Para quem quiser fazer umas comprinhas,  aqui tem muitas opções bacanas.

Arte pop na Urban Arts. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Arte pop na Urban Arts. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Na mesma rua, no número 95 fica a galeria A7Ma, onde estava acontecendo uma exposição bem legal, Pólen e Ferrugem,   com um casal de artistas Vermelho Steam e Ju Violeta. O estilo deles tem um toque de relíquias e coisas antigas. A exposição fica em cartaz até 23 de junho.

Exposição na A7ma até final de junho - Foto Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Exposição na A7ma até final de junho – Foto Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Durante todo o passeio, deparei-me com vários restaurantes, bares, padarias e cafés.  A maioria está concentrada entre as ruas Aspicuelta e Harmonia. Você pode fazer uma pausa em um deles, quando estiver com fome ou quiser descansar, ou até mesmo comer um pastel de feira na esquina da rua  Inácio Pereira da Rocha com a Aspicuelta.

Artistas no Beco do Batman - Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Artistas no Beco do Batman – Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

No número 153 fica a Galeria Nikon, outro espaço para quem curte fotografia. A exposição em cartaz mostrava uma passagem de tempo das pessoas. Como foi no último dia, tem que conferir a programação no site das próximas exposições.  A Galeria Porão, na mesma rua, número 145, também tem muitas peças descoladas à venda, tem mais cara de loja do que galeria.

Grafite no Beco do Batman Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Grafite no Beco do Batman Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Arte de rua: Beco do Batman

O lugar mais esperado do meu roteiro foi o Beco do Batman, que ainda não conhecia.  Uma explosão de cores e estilos adornam os muros do beco.  Você percebe que são vários artistas deixando sua marca e fazendo arte de rua. O lugar é um ponto turístico, com várias pessoas tirando fotos e apreciando as paredes artísticas. Conta-se que nos anos 80 alguém desenhou o Batman na parede e isso atraiu estudantes de artes plásticas que começaram a desenhar nas paredes do beco e a moda pegou.  Os desenhos são renovados pelos grafiteiros e artistas.

Beco do Batman: expressão de todas as formas. Foto: Patrícia Ribeiro/ Foto: Passeios Baratos em SP

Beco do Batman: expressão de todas as formas. Foto: Patrícia Ribeiro/ Foto: Passeios Baratos em SP

O roteiro termina na rua Medeiros de Albuquerque no Armazém da Cidade, onde acontece aos sábados um evento de rua, com food truck, venda de bebidas, estandes de roupas e shows gratuitos.  A Vila Madalena é isso,  diversão, cultura e arte. Você conhece algum desses lugares? Já visitou o bairro de dia? Onde gosta de frequentar?

Rua Medeiros de Albuquerque - Vila Madalena. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Rua Medeiros de Albuquerque – Vila Madalena. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Descubra um refúgio verde dentro de São Paulo: Parque da Cantareira – Núcleo Engordador

Tags

, , , , , , , ,

O Núcleo Engordador do Parque da Cantareira surpreende pelas suas belezas naturais, o cuidado e a infraestrutura. Um lugar onde ainda reina a paz até mesmo num dia ensolarado de domingo, com poucas pessoas circulando, ar puro e natureza exuberante. Com trilhas cercadas pela mata atlântica, pequenas quedas d´água, riachos, lugares para fazer piquenique, playground e até trilha para mountain bike, o Núcleo Engordador é um oásis dentro da cidade.

Mapa da trilhas - Núcleo Engordador - Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Mapa da trilhas – Núcleo Engordador – Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

O melhor de tudo é que é acessível, fica na zona norte, a 22 km do centro. Para quem não tem carro, não tem problema,  existem linhas de  ônibus que deixam bem pertinho.  Eu já conhecia o Núcleo da Pedra Grande, inclusive publiquei um post que  fez grande sucesso. Prometi que iria conhecer os outros núcleos e sabem de uma coisa? Gostei mais do Engordador do que do da Pedra Grande.  O local é ainda mais tranquilo que o primeiro e mais rústico também. As trilhas não são asfaltadas, são muito bem demarcadas e curtas e qualquer um pode fazer sem a necessidade de um guia.

As árvores na trilha impressionam - Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

As árvores na trilha impressionam – Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Na entrada há estacionamento para carros e motos. Monitores nos explicam sobre as principais atrações do parque.  Há um playground e área para piquenique para os pequenos e junto a ele, a Casa das Bombas.

Playground - Núcleo Engordador - Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Playground – Núcleo Engordador – Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Trilha das Cachoeiras

Mas antes de entrar nesta trilha ainda passamos pela represa. Quando vimos tanta água junta e com a crise que São Paulo está passando, ficamos admirando aquela imensidão e pensando o quanto é valioso preservar nossos rios e nascentes.

O Cantareira foi importante para o abastecimento de água em São Paulo. Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

O Cantareira foi importante para o abastecimento de água em São Paulo.
Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Ansiosos como estávamos, deixamos para conhecer a Casa das Bombas para o final. Fomos diretos para a trilha principal da Cachoeira, com 3 mil metros ida e volta. No caminho, avistamos vários tipos de árvores e plantas, bambuzais, jequitibás e durante o percurso passamos por três quedas d´água. Não fique esperando cachoeiras, mas o barulhinho da água correndo já rendeu boas fotos e teve gente que se arriscou a entrar na água gelada do lago formado pela cachoeira do Tombo.  Pausa para as fotos e apreciar a bela paisagem. A cachoeira do Véu tinha um véu tão fininho que era quase imperceptível. Pensei que talvez fosse por causa da falta de chuvas. Acho que em situações normais,  as cachoeiras estariam mais cheias.

Cachoeira do Véu, com pouca água - Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Cachoeira do Véu, com pouca água – Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Na volta, já estávamos famintos e escolhemos um lugar para estender nossa toalha e fazer o piquenique. Não se esqueçam de levar lanches, bebidas, porque não há lanchonetes nem lugar para comprar por perto.

Início da trilha das Cachoeiras - Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Início da trilha das Cachoeiras – Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Posso ir sozinho ou levar crianças?

Os guardas do parque ficam circulando de moto, mas dentro das trilhas eles não entram. Não sei se é seguro fazer a trilha sozinho, acho melhor não facilitar, mas percebi que o nível de dificuldade é fácil, apenas com algumas subidas, mas nada que canse tanto quanto a subida da Pedra Grande.

Muita gente tem receio de levar crianças pequenas para fazer trilhas. Se a criança estiver acostumada a ir aos parques, a caminhar, é bem tranquilo. Como eu disse a trilha tem três quilômetros, ida e volta. Cruzei com várias crianças pequenas fazendo a trilha com os pais, inclusive, bebês de colo.  Mas se não quiser fazer toda a trilha, a cachoeira do Tombo é bem perto e dá para levar as crianças lá e depois voltar para o playground.

O parque é cheio de riachos - Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

O parque é cheio de riachos – Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Outras atrações

O Núcleo do Engordador era uma fazenda destinada a “engorda” do gado de pastagem.  No local é possível conhecer o antigo sistema de abastecimento de água da cidade de São Paulo, a Casa das Bombas, que tem um maquinário incrível e conta como funcionava para captar a água e levar para alguns bairros de São Paulo.

Maquinário das Casa das Bombas impressiona - Foto: Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos em SP

Maquinário das Casa das Bombas impressiona – Foto: Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos em SP

Criado em 1963, o Parque Estadual da Cantareira tornou-se importante por abastecer água para a cidade. Possui uma área de 7.916 hectares e abrange São Paulo, Guarulhos, Caieiras e Mairiporã.

A outra trilha é bem curtinha, tem apenas 650 metros e chama-se Macuco. Em meia hora você faz margeando o córrego Curupira. A vegetação é bem exuberante. Não deixe de visitar a sede, onde há painéis explicativos, bichos empalhados e um painel onde é possível colocar o rosto no orifício em que os animais estão desenhados e tirar aquela foto divertida.

Trilha do Macuco - Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Trilha do Macuco – Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos em SP

Saiba mais sobre o Parque Estadual da Cantareira, clicando aqui.

A entrada custa R$ 12 e R$ 6 (meia).

Estacionamento: R$ 4 (motos), R$ 8 (carros), R$ 12 (ônibus de turismo)

Como chegar

Do metrô Tucuruvi, pega o ônibus Cachoeira 1783-21.

Do metrô Santana, pegue o ônibus Cachoeira.

Peça para descer o mais próximo do parque.  Dá para ir caminhando.

De carro:

Acesso pela Rod. Fernão Dias até Km 79 sentido SP-BH, entrar na alça de acesso para a Av. Coronel Sezefredo Fagundes, n° 19.100 sentido Mairiporã. Próximo à Pedreira Itacema

Cachoeira do Tombo fica no início da trilha - Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Barato em SP

Cachoeira do Tombo fica no início da trilha – Foto: Patrícia Ribeiro/ Passeios Barato em SP

Miró: saiba o que ver na exposição de um maiores gênios da pintura do século XX.

Tags

, ,

A exposição Joan Miró – A Força da Matéria chega a São Paulo, no Instituto Tomie Ohtake e fica em cartaz até 16 de agosto.  Ao lado dos espanhóis Pablo Picasso e Salvador Dalí, Joan Miró é um dos grandes gênios da pintura do século XX. Quem viu as mostras dos dois primeiros artistas não deve perder esta exposição que promete repetir o sucesso das anteriores.

Joan Miró, Cabeça, 1979, © Successión Miró, Miró, Joan AUTVIS, Brasil, 2015

Joan Miró, Cabeça, 1979, © Successión Miró, Miró, Joan AUTVIS, Brasil, 2015

As filas tão comuns neste tipo de evento também devem ocorrer,  principalmente nos finais de semana, portanto não deixe para ir no último mês. É bom se programar e ir em junho. Os ingressos custam R$ 10 e podem ser comprados pela internet. Às terças, a entrada é gratuita, o que deve aumentar o movimento.

Fui conferir a mostra que tem um grande acervo do artista que veio da Fundación Joan Miró, de Barcelona. São 112 obras: 41 pinturas, 22 esculturas, 20 desenhos, 26 gravuras e três objetos além de fotografias sobre a vida do pintor catalão, e alguns documentários que são exibidos durante a mostra.

Exposição Joan Miró no Instituto Tomie Ohtake

Exposição Joan Miró no Instituto Tomie Ohtake

Miró é conhecido pelas suas obras oníricas, com cores brilhantes e formas abstratas e simbólicas. As cores mais presentes em seu trabalho são o azul, vermelho, amarelo, verde e preto. Suas telas têm elementos geométricos e gráficos e algumas imagens distorcidas da realidade. Às vezes, me causa uma impressão do mundo dos devaneios e do universo infantil. Como todo surrealista, ela tem plena liberdade e não tem compromisso figurativo. Os temas constantes são o pássaro, a mulher, as constelações, mas tudo depende da imaginação de quem as vê e como percebe as obras de arte.

Embora sua pintura seja mais conhecida, Joan Miró explorou diferentes técnicas como a escultura, litografia, tapeçaria e cerâmica. Miró também recebeu influência do dadaísmo, fauvismo e cubismo. A natureza e a poesia eram grandes fontes de fontes de inspiração. Miró se definia como um poeta da pintura. Para ele, a relação entre as duas formas de arte era intrínseca.

Joan Miró, Mulher na Noite, 1973, © Successión Miró, Miró, Joan AUTVIS, Brasil, 2015

Joan Miró, Mulher na Noite, 1973, © Successión Miró, Miró, Joan AUTVIS, Brasil, 2015

A mostra de Miró

A exposição divide-se em três fases do artista. Nas décadas de 1930 a 1940 as pinturas e desenhos da época da Guerra Civil Espanhola e da Segunda Guerra Mundial manifestam o início do interesse de Miró pela matéria. Entre os anos 50 e 60, com a presença maior de técnicas diversas, destaca-se o interesse do pintor pela experimentação da matéria, que o levará a trabalhar no campo da escultura, enquanto nos Na década de 1970, Miró trabalha com suportes mais inusitados e se pergunta sobre o sentido final da arte. Neste período, uma importante coleção de gravuras indica a destreza do artista a desafiar os padrões da técnica.

A mostra Joan Miró - A força da matéria fica em cartaz até 16 de agosto - Foto: Divulgação

A mostra Joan Miró – A força da matéria fica em cartaz até 16 de agosto – Foto: Divulgação

Difícil escolher a obra mais representativa entre tantas obras-primas. E você, já foi? O que mais gostou da exposição? Frases do artista:

“Uma forma nunca é algo abstrato, é sempre um homem, um pássaro ou qualquer outra coisa. Forma é nunca considerada como forma.”

 “Uma pintura nunca está acabado , nem é sempre começa , uma imagem é como o vento, algo que sempre anda sem descanso.” 

“Eu pinto como se estivesse andando pela rua. Escolho uma pérola ou um pedaço de pão. Isso é o que dou e escolho.” 

“Eu tento aplicar cores como palavras que formam poemas, como as notas que formam música.”

Joan Miró, Mulher e Pássaro, 1967, © Successión Miró, Miró, Joan AUTVIS, Brasil, 2015

Joan Miró, Mulher e Pássaro, 1967, © Successión Miró, Miró, Joan AUTVIS, Brasil, 2015

Biografia

Nascido em 1893 em Barcelona, na Catalunha, Joan Miró, filho de artesãos,  estudou nas Escola de Belas Artes de Barcelona e na Academia de Galí.  Desde jovem, conviveu com expoentes da vida artística espanhola. Recebeu influências do fauvismo, que teve como o maior representante Henry Matisse, na França e Maurice de Vlaminck. Em 1920, Miró foi para França pela primeira vez. Lá ele se aproximou das artes de vanguardas: conheceu Pablo Picasso e impressionou-se com as ideias de Tristan Tzara, o grande agitador do movimento Dada, fez amizade com André Masson outros artistas e intelectuais importantes. Ele dividiu sua vida entre França e Espanha por um longo período.  Depois da Guerra Civil Espanhola, o artista já era renomado e fez vários trabalhos e murais para hotéis e universidades em Nova York.  Em 1958, dois murais seus são inaugurados para a Unesco de Paris. O projeto ganhou o Prêmio Internacional Guggenheim.  Em 1975, a Fundação Joan Miró é inaugurada em Barcelona com um grande acervo da sua obra. Joan Miró faleceu em 25 de dezembro de 1983, em Palma de Maiorca, na Espanha.

O pintor catalão Joan Miró - Foto: Divulgação

O pintor catalão Joan Miró – Foto: Divulgação

Exposição: Joan Miró – A Força da Matéria

De terça a domingo, das 11h às 20h

R$10,oo e R$5,00 (até 10 anos grátis); às terças grátis; compra de ingressos: ingresse.com, aplicativo do Instituto Tomie Ohtake, ou na bilheteria do Instituto de terça a domingo, das 10h às 19h.

 Instituto Tomie Ohtake

Av. Faria Lima 201 (Entrada pela Rua Coropés 88) – Pinheiros SP

Metrô mais próximo – Estação Faria Lima/Linha 4 – amarela

Fone: 11 2245 1900

© Successión Miró, Miró, Joan AUTVIS, Brasil, 2015

© Successión Miró, Miró, Joan AUTVIS, Brasil, 2015

(Re)descubra as melhores atrações da Avenida Paulista a pé – Parte 2

Tags

, , , , , ,

 

Paulista – São Paulo (SP) – 17.04.2013 – Geral – Avenida Paulista- Vista da Avenida Paulista no cruzamento com a Avenida Brigadeiro Luis Antonio. Foto: Jose Cordeiro/SPTuris

Paulista – São Paulo (SP) – 17.04.2013 – Geral – Avenida Paulista- Vista da Avenida Paulista no cruzamento com a Avenida Brigadeiro Luis Antonio. Foto: Jose Cordeiro/SPTuris

A Avenida Paulista é palco de eventos, manifestações e comemorações. Tudo de mais importante acontece lá, além disso, oferece muitas atrações e pontos turísticos nos seus três quilômetros.  Os mais conhecidos são o Masp, o Parque Trianon, o Centro Cultural Fiesp, mas também tem  outros lugares interessantes aos arredores.

No primeiro post sobre a Avenida Paulista, eu falei sobre os pontos turísticos perto da estação Brigadeiro. Neste post vou mostrar as opções bacanas em torno da estação Trianon-Masp até a estação Consolação, um roteiro que pode ser feito a pé, na maior tranquilidade.

Descendo do metrô, nos deparamos com o prédio modernista da arquiteta Lina Bo Bardi: o Masp – Museu de Arte de São Paulo. Cartão-postal da cidade, o museu abriga um acervo de artistas muito importantes, exposições permanentes e temporárias. Eu já falei em outro post que às terças a entrada é grátis.  Às quintas também não cobram ingresso após às 17h e fica aberto até às 20h.

MASP_JOSE CORDEIRO

MASP_JOSE CORDEIRO

Até 28 de junho está em cartaz a exposição  Arte do Brasil no século 20 com obras de alguns dos mais reconhecidos pintores do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Cândido Portinari e Lasar Segall. Fica também até o final de junho, a exposição de grandes artistas do período de 1866 e 1948. Obras dos pintores europeus mais importantes da história estão lá como Manet, Degas, Cézanne, Gauguin, Van Gogh, Matisse, Renoir, Toulouse-Lautrec, Picasso, Modigliani.  Adoro todos.

Cândido Portinari - O lavrador de café

Cândido Portinari – O lavrador de café

Além de museu, o Masp tem  uma agenda diversifica com atividades artísticas, cursos e palestras e espetáculos. Tem também um curso de Introdução à História da Arte que é ministrado semestralmente com 16 aulas.  Saiba mais informações sobre a programação clicando aqui. Se pintar uma fome, tem um restaurante dentro do museu aberto para o almoço. Se preferir, mais tarde vá ao bar Opção, que fica atrás do Masp e costuma lotar no happy hour nas noites mais quentes.

Domingo no parque

Aos domingos, acontece a Feira de Antiguidades no vão do Masp e de artesanato, do outro lado da rua, em frente ao parque Trianon. Os colecionadores e turistas circulam entre as barracas à procura de raridades e pechinchas. Objetos antigos, moedas,  tapetes, porcelanas, moedas e outros itens são expostos nas barracas. A feira de artesanato é uma amostra do que é feito no Brasil. Há ainda algumas barracas que vendem lanches, tapiocas e outras guloseimas.

Feira de Antiguidades do Masp - Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos SP

Feira de Antiguidades do Masp – Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos SP

Aproveitei para dar uma volta no parque Trianon, como é conhecido. Na verdade, o nome é Parque Tenente Siqueira Campos, mas quase ninguém sabe disso. Entrei poucas vezes ali. Talvez porque como a maioria dos paulistanos, estou sempre apressada. É um parque pequeno, tem 46.800 m2, bem arborizado, um oásis verde no meio dos arranha-céus.  Tem playgrounds e aparelhos de ginástica e uma estátua de Victor Brecheret, o Fauno. Percorrer as trilhas feitas de pedras portuguesas no meio da agitada avenida é excelente para relaxar. No site, você encontra mais informações sobre o parque.

Feira de Artesanato - Parque Trianon - Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos SP

Feira de Artesanato – Parque Trianon – Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos SP

Curiosidade: Nas décadas de 1920 e 30 o parque era símbolo da elite paulistana, frequentado por seus intelectuais da época. O parque recebeu este nome para homenagear um dos heróis, Antônio de Siqueira Campos, da Revolução do Forte de Copacabana, na Revolta Tenentista.

Parque Trianon - Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos SP

Parque Trianon – Patrícia Ribeiro/ Passeios Baratos SP

Centro Cultural Fiesp

Um dos prédios mais emblemáticos da Avenida Paulista é o da Fiesp. Por causa da sua arquitetura arrojada, podemos ver o edifício mesmo de longe e já se tornou um ponto de referência da agenda cultural da cidade.

O Centro Cultural Fiesp oferece programação variada e gratuita: shows, concertos, peças de teatro, exposições, mostra de filmes, palestras. As atrações são super concorridas e normalmente é necessário fazer o cadastro no site para retirada de ingressos.

Fachada Fiesp - Foto: Divulgação

Fachada Fiesp – Foto: Divulgação

Até 28 de junho está em cartaz a peça O Homem de La Mancha, uma adaptação do romance épico Don Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes. No dia 1ª de junho, às 20h, tem apresentação única da comédia musical Os Miseráveis, um clássico imperdível. Na programação musical deste mês, na terça, dia 26, às 20h, o destaque e o Rock Anos 80 no InteligênciaPontoCom, com Kid Vinil e Gastão Moreira. É um bate-papo entre o convidado e o público sobre variados temas da cultura nacional. Para quem viveu a adolescência nesta época é um programão.  Veja a programação completa, clicando aqui.

Os Miseráveis - Renato Schulz

Os Miseráveis – Renato Schulz

Paulista encontra a Augusta

Continuando a caminhada pela Avenida Paulista, repare nas poucas construções históricas que restaram e as compare com os modernos edifícios.  Já na esquina da avenida Paulista, entre no Conjunto Nacional, sempre tem alguma exposição interessante acontecendo.  Depois, passe na Livraria Cultura para ver o que há de novidades. Sempre acontece pocket-shows, palestras, lançamento de livros e outros eventos gratuitos. A programação encontra-se aqui. A livraria também conta com um teatro, auditório e cinema.

Livraria Cultura - Foto: Divulgação

Livraria Cultura – Foto: Divulgação

Depois desse banho de cultura, vamos às compras. Do outro lado da rua, tem o Center 3. Seria um shopping tradicional, mas tem um diferencial aos domingos, quando acontece a feira de arte, artesanato e design Como Assim. Para quem quer comprar um presente original, aqui vai encontrar. São dezenas de estandes que vendem roupas, sapatos, bolsas, bijuterias, arte, design e outros itens.

Procurei destacar as principais atrações da Avenida Paulista, já a rua Augusta, que fica na esquina, merece outro post exclusivo. E você, já visitou todos estes lugares que citei? Que tal voltar nesta avenida e redescobri-la com olhos de turista?

 

 

Conheça o maior centro gastronômico de São Paulo: Eataly

Tags

, , , , ,

Espaço Eataly abre em São Paulo com 4,5 mil m2 com delícias para saborear e levar para casa

Padaria - Eataly Foto: Gladstone Campos

Padaria – Eataly
Foto: Gladstone Campos

À primeira vista, quando você chega ao Eataly você pensa: é um empório? É uma loja de utensílios? É um “mercadão municipal” mais chique? É um restaurante? Uma padaria? Depois de perambular entre gôndolas, restaurantes, café, sorveteria, chocolateria, cervejaria, peixaria, escola de gastronomia, você chega à conclusão que é tudo isso e muito mais.

Salada com frutos do mar é um dos destaques - Foto: Gladstone Campos

Salada com frutos do mar é um dos destaques – Foto: Gladstone Campos

O complexo Eataly é um conceito que abrange tudo relacionado ao universo gastronômico. São 4.500 metros quadrados onde você pode comprar frutas, legumes, utensílios domésticos, livros de culinária, ingredientes para cozinhar e ainda degustar de iguarias de dar água na boca. Como o próprio nome já diz Eataly é um lugar para quem gosta de comer bem e focado na culinária italiana com seus pães, queijos, embutidos, massas, pizzas, expressos, chocolates, sorvetes, vinhos e outras delícias.

Chocolateria - Eataly - Foto: Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos em SP

Chocolateria – Eataly – Foto: Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos em SP

São três andares com sete restaurantes temáticos e um restaurante com bar que é a novidade exclusiva para São Paulo: Brace Bar e Griglia. Em outros pontos de alimentação, encontram-se duas cafeterias (Lavazza e Vergnano), uma gelateria (Il Gelato di Venchi), uma pasticceria (La Pasticceria di Luca Montersino), uma chocolateria (Il Cioccolato Venchi), um bar de sucos de frutas feitos na hora (Bar della Frutta) e um balcão de Nutella.

Queijos de todos os tipos - Eataly - Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos SP

Queijos de todos os tipos – Eataly – Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos SP

O mercado é dividido em 22 departamentos, com um total de 7 mil produtos comercializados  que incluem padaria, hortifrúti, açougue, peixaria, rotisseria, pasta fresca, uma fábrica de muçarela, queijos, carnes curadas, laticínios e todas as categorias essenciais de uma mercearia, como doces, geleias, conservas, azeites, molhos, temperos, condimentos, massas, arroz, bebidas não alcoólicas, vinhos, cervejas, destilados, livraria, escola de gastronomia e bazar. 

Cervejas e chopes artesanais para todos os paladares - Eataly - Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos SP

Cervejas e chopes artesanais para todos os paladares – Eataly – Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos SP

Não há nada parecido em São Paulo. O lugar tem tudo para agradar ao paulistano e aos turistas que visitam a cidade. Bom gosto, comida de qualidade, ingredientes diferenciados, e, é claro, deve ter muitas filas também. Afinal, em São Paulo tudo que é bom tem fila não é mesmo?

Eletrodomésticos e utensílios nacionais e importados - Eataly - Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos SP

Eletrodomésticos e utensílios nacionais e importados – Eataly – Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos SP

Não é um lugar propriamente popular até porque como o conceito é qualidade, ingredientes artesanais e importados. O preço não é barato, mas se comparar com outros empórios e restaurantes do gênero os valores são bem competitivos.  O Eataly é um lugar onde você vai desfrutar uma experiência gastronômica: provar bebidas e comidas diferentes e levar para casa itens que você não costuma levar no supermercado perto de casa.

Para ter uma ideia de preços, uma taça de vinho tinto italiano custa R$ 17, a pizza Margherita individual sai por R$ 25, massas individuais, a partir de R$ 25, copo de cerveja Paulistania, R$ 7,80.

O mercado é dividido em 22 departamentos. Eataly - Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos SP

O mercado é dividido em 22 departamentos. Eataly – Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos SP

Mas por que então estou publicando sobre um lugar caro num blog de passeios baratos? Porque tenho que registrar um lugar dessa importância para a cidade de São Paulo. Com certeza, será um ponto turístico de sucesso como é o nosso Mercado Municipal, que também não é tão barato, mas é parada obrigatória para quem visita São Paulo.  Creio que viver esta experiência é essencial para conhecer tudo de bom que a cidade tem a oferecer.

Pizza, massas frescas, carnes e peixes são alguns itens do cardápio. Eeataly - Gladstone Campos

Pizza, massas frescas, carnes e peixes são alguns itens do cardápio. Eeataly – Gladstone Campos

Saiba mais sobre o Eataly

Segundo o grupo de que detém a marca, o Eataly é considerado o maior mercado de gastronomia e produtos artesanais italianos do mundo. A exemplo de todas as unidades do mundo, foi inspirada no primeiro Eataly em Turim, Itália, fundado por Oscar Farinetti, em 2007. Existem 29 lojas do Eataly no mundo. Quinze delas estão na Itália, nove delas estão no Japão, duas nos Estados Unidos, uma em Dubai, uma em Istambul e agora, uma em São Paulo.

Cardápio diferenciado - Gladstone Campos

Cardápio diferenciado – Gladstone Campos

O Eataly abriu hoje, dia 19 de maio.

Av.  Juscelino Kubitschek 1489, 1489, Itaim Bibi, tel.: (11) 3279-3300.

O Eataly abre todos os dias das 8h às 23h. Não aceita reservas, somente no Brace Bar & Griglia. Só paga o que consumir ou comprar.  O site não está funcionando, mas já tem fanpage https://www.facebook.com/eatalybrasil?fref=ts e instagram Eatalybr.

Panorâmica - Eataly - Foto: Gladstone Campos

Panorâmica – Eataly – Foto: Gladstone Campos

Tudo o que você precisa saber sobre a Avenida Paulista – Parte 1

Tags

, , , , , ,

Mural do Kobra - retrato Oscar Niemeyer na Praça Oswaldo Cruz

Mural do Kobra – retrato Oscar Niemeyer na Praça Oswaldo Cruz

Eu queria fazer um post sobre as opções de lazer na Avenida Paulista e ia escrever num único bloco, porém, percebi que esta avenida emblemática de São Paulo merece vários posts.  Se você é como eu, apaixonado por esta avenida, vou lhe dar dicas para admirá-la como se fosse a primeira vez, mesmo para você que você já tenha passado centenas de vezes por lá. Tenho certeza que tem lugares que nunca entrou ou prestou atenção.  Vou comentar o que está acontecendo em maio nas melhores atrações da Avenida Paulista.

Vamos começar pela Estação Brigadeiro do metrô, na Linha Verde.  Bem no comecinho da Avenida Paulista, na Praça Oswaldo Cruz,  tem um mural gigante e colorido que chama a atenção.  É um painel de 52 metros de altura e 16 metros de largura do artista plástico Eduardo Kobra. Ele fez para homenagear o arquiteto Oscar Niemeyer, morto em 5 de dezembro de 2012.  O painel foi finalizado no aniversário da cidade em 2013 e chama a atenção de quem passa por ali.

Mansão em estilo clássico francês Casa das Rosas

Mansão em estilo clássico francês Casa das Rosas

Atravessando a avenida, no número 37, nos deparamos com um imponente prédio histórico onde funciona o centro cultural Casa das Rosas.  Projetado por Ramos de Azevedo,  a mansão em estilo clássico francês é cercada por um lindo jardim, conta com orquidário e um café.  A Casa das Rosas é o núcleo dos apreciadores da literatura e poesia.  Aqui funciona também o Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura que promove saraus, palestras, cursos, oficinas, exposições,  feiras culturais, concertos e muito mais.

É possível também agendar uma visita educativa gratuita na recepção.  Neste mês de maio há várias atividades,  algumas necessitam de inscrição, outras não. Destaco algumas:

Fonte da Casa das Rosas

Fonte da Casa das Rosas

– Jardim Alheio – Ciclo de crítica com autores consagrados ao vivo, às terças, às 19h30. Inscrições na recepção da Casa das Rosas.

– Quinta Poética: encontro reúne poesia com diferentes expressões artísticas,  como dança, música artes plásticas e cultura popular, envolvendo a leitura de poemas.

– Sarau do Pi – 30 de maio, às 19h. Traz a temática “a periferia e a mulher” e dá voz a personagens importantes.

– Coral da Casa das Rosas:  Dia 27 de maio, às 19h30.

Saiba a programação completa no site da Casa das Rosas.

Itaú Cultural: reduto dos amantes das artes

O prédio branco e envidraçado do Itaú Cultural fica no número 149 da Avenida Paulista e abriga vários eventos como exposições, peças de teatro, shows, oficinas, vivências, cursos e palestras. Tem um acervo fixo e uma programação que muda todo mês.

Itaú Cultural no comecinho da avenida Paulista

Itaú Cultural no comecinho da avenida Paulista

As pessoas normalmente vão lá para ver os espetáculos e nem sabem que existe um acervo bem interessante e que também pode ser conhecido em uma visita temática. No Espaço Olavo Setúbal tem uma exposição permanente que conta a história do Brasil através de obras de arte, moedas, cartas e mapas. A visita acontece sempre de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 20h, e sábado e domingo, das 11h às 20h.

Espaço Olavo Setubal - Itaú Cultural

Espaço Olavo Setubal – Itaú Cultural

No dia 16 de maio é a abertura da exposição Ocupação Dona Ivone Lara, dedicada a sambista carioca de 94 anos. Na abertura, o público vai conhecer alguns sambas que marcaram época  tocados pelo Grupo Samba Virado, às 12h e 16h. A programação inclui também visita temática A Cultura Africana e o Nascimento do Samba. As visitas duram cerca de 60 minutos e acontecem dias 16, 17, 23, 24, 30 e 31 de maio, às 17h.  Grátis. Não é necessário agendamento” e visita-oficina Candeeiro da Vovó.

D. Ivone Lara - André Seiti

D. Ivone Lara – André Seiti

Além desta exposição,  há também uma mostra com algumas obras do acervo do Instituto Inhotim, de Brumadinho (MG), que conta com obras de Lygia Clark, Hélio Oiticica, entre outros. Fica em cartaz até 31 de maio.

Mas a agenda do Itaú Cultural traz mais novidades. Todas às terças, às 20h, tem apresentação de peças teatrais. Às quartas, às 20h, tem o projeto Escritora-Leitora, um programa que abre espaço para autores falar do processo de criação.  Às quintas, às 20h,  tem apresentações musicais de cantores variados.  Nos finais de semana, tem mais shows, destacando Tiganá Santana e Fabiana Cozza, dia 17, às 19h. Os ingressos gratuitos são distribuídos 30 minutos antes dos espetáculos.

Fabiana Cozza e Tiganá Santana em apresentação no Itaú Cultural

Fabiana Cozza e Tiganá Santana em apresentação no Itaú Cultural

As crianças também tem espaço garantido. Todo final de semana tem peças teatrais infantis, oficinas, performances e dia 31 acontece Se essa rua fosse nossa, com shows, oficinas e outras atividades para toda a família na rua Leôncio de Carvalho, ao lado do Instituto.

A programação completa está no site do Itaú Cultural.

Praia de Paulista e Livraria Fnac

Se continuar andando pela Avenida Paulista vai chegar à esquina com a Alameda Joaquim Eugênio de Lima. Aqui é a parada para o lanche ou uma cerveja.  Popularmente conhecida como Prainha, é um conjunto de bares e restaurantes com mesinhas ao ar livre. E a praia? Bom, isso fica a critério da sua imaginação, como em São Paulo não tem praia, o clima de mesinha na calçada tenta dar esta sensação.  Costuma lotar na hora do almoço e no happy hour,  lugar ideal para beber e encontrar os amigos.

Livraria Fnac

Livraria Fnac

A Livraria Fnac está em frente ao famoso prédio da TV Gazeta. Um paraíso para se perder entre livros, eletrônicos, cds, dvds e revistas. Lá dentro também tem um café, quando quiser dar uma pausa para o lanche. O mais interessante é a programação que a livraria oferece. São lançamentos de livros, contação de histórias para crianças e pockets-shows.  Neste mês destaca-se 18 e 25, às 19h, Encontro dos fãs de Game of Thrones, Dia 16, às 15h, lançamento do filme Os pinguins de Madagascar e oficina infantil e Dia 28, às 19h, pocket-show com a Filarmônica de Pasárgada.  Tudo grátis. Veja a programação no site da Fnac.

Você já visitou todos estes lugares? Tem alguma sugestão? Não perca o próximo post sobre as atrações próximas da Estação Trianon-Masp.

Visite uma floresta dentro de São Paulo: o Parque da Cantareira na zona norte

Tags

, , , ,

Portaria Núcleo Pedra Grande - Parque da Cantareira

Portaria Núcleo Pedra Grande – Parque da Cantareira

Para quem deseja fugir dos parques lotados e ter a sensação que está fora da cidade, uma  excelente opção de passeio  é o Parque Estadual da Cantareira, no Núcleo da Pedra Grande. É surpreendente que haja uma floresta  de 7.916 hectares de Mata Atlântica a apenas a  10 km do centro de São Paulo.

Por ser mais acessível – dá para chegar de ônibus a partir de Santana, na zona norte  –  o Núcleo Pedra Grande do Parque da Cantareira é o mais visitado.  Já fui o lugar várias vezes e sempre que surge uma oportunidade, eu volto lá para levar amigos que ainda não conhecem. Este final de semana, fomos num grupo de sete pessoas fazer um piquenique na Lagoa das Carpas e percorrer os 10 km de trilha. Calma! Este percurso é de ida e volta e o acesso é asfaltado. Para quem não está acostumado, pode ficar um pouco cansado, principalmente na subida, mas se for caminhando devagar e apreciando a natureza, você nem percebe quando chegar ao ponto mais alto: a pedra grande. Da entrada ao mirante são 6.780 metros.

Mapa trilhas Núcleo Pedra Grande

Mapa trilhas Núcleo Pedra Grande

Prepare sua câmera porque se o dia estiver claro, a vista é maravilhosa. Dá para ver vários bairros da zona norte e até o Pico do Jaraguá. Ao lado, fica o Museu da Pedra Grande com maquetes e objetos. Infelizmente, no dia que eu fui estava fechado.

Mirante Pedra Grande - Parque da Cantareira

Mirante Pedra Grande – Parque da Cantareira

No meio do caminho há trilhas menores que saem do asfalto.  A Trilha das Figueiras de 1.200 metros , a Trilha da Bica de 1.500 metros e a Trilha do Bugio, de apenas 300 metros.  Se for a primeira vez que você vai, sugiro não ir na ida para não ficar muito cansado. Se na volta ainda estiver disposto, pode escolher uma delas.

Os melhores ângulos da Pedra Grande - Parque da Cantareira

Os melhores ângulos da Pedra Grande – Parque da Cantareira

Posso ir sozinho?

Não é preciso ir com guia, você pode ir sozinho porque as trilhas são todas sinalizadas e de fácil acesso. Na portaria, pode pegar um mapa e o funcionário explica sobre as principais atrações do parque. A infraestrutura conta com vários banheiros no percurso e para a alegria da criançada tem um parquinho ao lado do lago das carpas. Caso não tenha levado lanche, antes de chegar à portaria há várias lanchonetes e ambulantes, que ficam na entrada do Horto Florestal, onde tem o ponto final do ônibus, então não precisa se preocupar, que não vai passar fome.  O Parque da Cantareira é bem seguro,  os guardas ficam percorrendo o parque de carro e moto.

Trilha Pedra Grande

Trilha Pedra Grande

Sim, você pode levar as crianças. Eu mesma vi várias de quatro, cinco, seis anos. Se ela estiver acostumada a andar, vai adorar o passeio. É só ir andando devagar e mostrando as plantas, árvores e quem sabe com sorte vocês até encontram um bugio. Eu nunca tive esta sorte,  só ouvi o barulhão que eles fazem. Outros animais que vivem no parque são a preguiça, serelepe, quati, suçuarana, macaco-prego e macaco Sauá.

Fazendo piquenique no Parque da Cantareira

Fazendo piquenique no Parque da Cantareira

Para quem nunca foi é bom avisar que o Parque da Cantareira é um lugar de contemplação e caminhadas, não sendo permitida a prática de esportes, bicicletas ou pets. O barato aqui é entrar em contato com a natureza e apreciar a vista.

Você pode fazer uma pausa para o lanche na própria pedra grande ou se preferir, volte um pouco e entre na trilha que chega ao lago das carpas.  Tem algumas mesas para piquenique ou apenas estenda a toalha e aproveite para compartilhar guloseimas com seus amigos.

Lago das Carpas Parque da Cantareira

Lago das Carpas Parque da Cantareira

Saiba mais sobre o Parque Estadual da Cantareira

Segundo os historiadores, Cantareira foi o nome dado a serra pelos tropeiros que faziam o comércio entre São Paulo e as outras regiões do país, nos Séculos 16 e 17, devido à grande quantidade de nascentes e córregos encontrados na região.

O nome cantareira vem de cântaro, porque era costume armazenar água em jarros de barro (cântaro) e as prateleiras onde eram guardados chamavam-se cantareiras.

O parque abriga várias nascentes  e cursos d´água abastecendo a cidade de São Paulo. Aberto em 1963 abrange a capital, Guarulhos, Mairiporã e Caieiras. É um importante remanescente de Mata Atlântica abrigando várias espécies como o samambaiaçu, figueira, jacarandá, embaúba, entre outros.

Bambuzal e outras espécies da mata atlântica  no Parque da Cantareira

Bambuzal e outras espécies da mata atlântica no Parque da Cantareira

Os outros núcleos são das Águas Claras, que fica em Mairiporã, Engordador, que tem quedas d´águas e o maior deles é o Cabuçu, que também tem cachoeira. Já me informei que é possível chegar ao Engordador  e no Cabuçu de transporte público, porém são mais distantes.  Mas assim que for, conto para vocês como é.

E você, já foi ao Parque Estadual da Cantareira? Conheceu a Pedra Grande? O que mais gostou?

Lago das carpas no Parque da Cantareira

Lago das carpas no Parque da Cantareira

Rua do Horto, 1.799

Taxa de visitação: R$ 12 e R$ 6 (meia)

Como chegar: Há várias linhas de ônibus que dão acesso ao parque entre as quais a 2740-41 Metrô Parada Inglesa x Horto Florestal.
Similares: 2740-10-0 – Metrô Santana, 1783-41-0 – Metrô Parada Inglesa; 1764-41-0 – Metrô Parada Inglesa,1783-21-0 – Metrô Tucuruvi e 1722-10-0 – Tucuruvi.

Para saber outros números de linhas, fornecendo origem e destino, ligue para o telefone 156  da PMSP ou pelo site da Sptrans 

Mais informações e horários de funcionamento no site

Placa indicativa trilha Pedra Grande

Placa indicativa trilha Pedra Grande